sábado, 18 de dezembro de 2010

~~' Ninguém- Dinely Borges

Ver-te daqui é como cobrir
Um céu de estrelas
Que sempre olho
E estão ali.

Ver-te daqui
É um devaneio.
De tão longe veio
E já está a partir.

Ver-te daqui
É tão seguro quanto dormir.
Espero não acordar
Para sempre o admirar.

Sim, idealizo.
Torno-te bem do meu jeito.
Por isso apenas o vejo daqui.
E com todo respeito
Não quero vê-lo de outra forma
Posto que só exista porque assim o vejo.

sábado, 11 de dezembro de 2010

~~'Chave fechadura- Dinely Borges E How Deep Is Your Love(tradução)- Bee Gees

Ps: Antes de qualquer coisa... Eu escrevi um parágrafo, depois procurando uma imagem para combinar achei a imagem abaixo. Então lembrei que é uma música famosa do Bee Gees. Quando ouvi a música percebi que tinha muito a ver com o que eu tinha escrito.Por isso estou pondo juntas. Espero que gostem.
_______________________________________________________________

   Deixei a porta aberta e coloquei-me a esperar. Uma espera silenciosa e fria. Até que nela você chegou. Parou por uns instantes. O meu coração descompassado batia. Enchia-se de alegria. Mas sem nem mesmo olhar ao seu redor, você continuou. Então me perguntei por quê. Porque você não soube me ver? Talvez não quisesse. E se isso for, perdoe-me, mas os dias e o tempo para mim não são remédios. Eu tenho uma vida que assim como eu, está com as portas abertas esperando por mim. E eu não irei passar direto por ela. Não a deixarei me esperando. Serei para ela como o céu é para estrelas. E ela será para mim tão certa quanto às areias são do deserto. E por acaso, se você de seu caminho se perder, talvez não mais me encontre. Talvez a porta de minha alma agora tenha chaves, tão diversas que seria impossível por ela passar. Mas se me segues como vento, quem sabe não aprenda abrir as fechaduras que você mesmo fez trancar.
-Dinely Borges-

How Deep Is Your Love
Quão Profundo É Seu Amor

Conheço seus olhos num sol da manhã
Sinto que me toca numa pesada chuva
E no momento que você vaga pra longe de mim
Eu quero sentir você em meus braços novamente

E você vem a mim numa brisa de verão
Mantém-me aquecido com o seu amor, depois suavemente parte,
E é pra mim que você precisa mostrar
Quão profundo é seu amor

(Refrão)
É seu amor
Quão profundo é seu amor
Eu realmente preciso aprender
Porque nós vivemos num mundo de insensatos
Nos passando para trás
Quando deveriam nos deixar ser
Nós pertencemos a você e eu

Eu acredito em você
Você conhece a porta para minha alma
Você é a luz em minhas horas mais escuras e profundas
Você é minha salvação quando eu caio

E você pode pensar que eu não me importo com você
Quando sabe, lá dentro, que realmente o faço.
E é a mim que precisa mostrar quão profundo é seu amor.

~~' Trecho de A mão e a luva- Machado de Assis

"Um conselho último, — último se me não consentir mais falar-lhe nisto; — eu creio que a senhora sonha talvez demais. Sonhará uns amores de romance, quase impossíveis? digo-lhe que faz mal, que é melhor, muito melhor contentar-se com a realidade; se ela não é brilhante como os sonhos, tem pelo menos a vantagem de existir."

terça-feira, 30 de novembro de 2010

~~~'Tecendo paixão- Dinely Borges

Depois que passa
Não se sabe por que começou.
Tanto chora, quem amou.

E de tanto chorar, cessa lágrima
Lástima do que no peito calou.
Com o tempo tece graça
Do que foi e não mais voltou.

Nos lábios, sorriso formado,
Chama outro amor.
Agora o peito fala
Ante a lágrima que brotou.

Assim vai vivendo,
O coração tecendo paixão,
Tricotando sentimento
Costurando o já remendo,
Dissuadindo a solidão.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

~~' O que eu não disse - Dinely Borges

Ainda quis dizer as minhas últimas palavras, mas essas, subitamente morreram antes de chegarem aos meus lábios. Então serenei o meu coração. Posto que se me conheces tão bem como supões, não há nada que eu diga que você já não saiba.

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

~~' Um pouco de Victor Hugo

Hoje abro espaço no blog para o grande escritor Victor-Marie Hugo. 
Ele que nasceu no dia 26 de fevereiro de 1802, em Paris, e deixou o seu legado, como Os Miseráveis
e o Notre-Dame de Paris, entre outras valiosas obras. 

Desejo

Desejo primeiro que você ame,
E que amando, também seja amado.
E que se não for, seja breve em esquecer.
E que esquecendo, não guarde mágoa.
Desejo, pois, que não seja assim,
Mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos,
Que mesmo maus e inconseqüentes,
Sejam corajosos e fiéis,
E que pelo menos num deles
Você possa confiar sem duvidar.
E porque a vida é assim,
Desejo ainda que você tenha inimigos.
Nem muitos, nem poucos,
Mas na medida exata para que, algumas vezes,
Você se interpele a respeito
De suas próprias certezas.
E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo,
Para que você não se sinta demasiado seguro.

Desejo depois que você seja útil,
Mas não insubstituível.
E que nos maus momentos,
Quando não restar mais nada,
Essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante,
Não com os que erram pouco, porque isso é fácil,
Mas com os que erram muito e irremediavelmente,
E que fazendo bom uso dessa tolerância,
Você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você, sendo jovem,
Não amadureça depressa demais,
E que sendo maduro, não insista em rejuvenescer
E que sendo velho, não se dedique ao desespero.
Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e
É preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste,
Não o ano todo, mas apenas um dia.
Mas que nesse dia descubra
Que o riso diário é bom,
O riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra ,
Com o máximo de urgência,
Acima e a respeito de tudo, que existem oprimidos,
Injustiçados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato,
Alimente um cuco e ouça o joão-de-barro
Erguer triunfante o seu canto matinal
Porque, assim, você se sentirá bem por nada.

Desejo também que você plante uma semente,
Por mais minúscula que seja,
E acompanhe o seu crescimento,
Para que você saiba de quantas
Muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo, outrossim, que você tenha dinheiro,
Porque é preciso ser prático.
E que pelo menos uma vez por ano
Coloque um pouco dele
Na sua frente e diga "Isso é meu",
Só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum de seus afetos morra,
Por ele e por você,
Mas que se morrer, você possa chorar
Sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo homem,
Tenha uma boa mulher,
E que sendo mulher,
Tenha um bom homem
E que se amem hoje, amanhã e nos dias seguintes,
E quando estiverem exaustos e sorridentes,
Ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer,
Não tenho mais nada a te desejar ".

Esse poema foi a inspiração para a música "Amor pra recomeçar".


"Nada se assemelha à alma como a abelha. Esta voa de flor para flor, aquela de estrela para estrela. A abelha traz o mel, como a alma traz a luz."

"Contemplais uma estrela por dois motivos: porque é luminosa e porque é impenetrável. E no entanto, temos ao nosso lado um brilho mais suave e um mistério maior ainda, a mulher."

"A vida é um campo de urtigas onde a única rosa é o amor."


"A vida não passa de uma oportunidade de encontro; só depois da morte se dá a junção; os corpos apenas têm o abraço, as almas têm o enlace."


"O espírito enriquece-se com o que recebe; o coração com o que dá."


"Se conseguires afastar do coração o ódio que o domina, tirar
dos sofrimentos passados uma lição de paz e compreensão
sobre a vida e os homens, verá como se sentirá recompensado
das dores e humilhações que o afligiram."














sábado, 20 de novembro de 2010

~~'Fora de alcance - Dinely Borges

Nas areias deitei-me apenas para ver o mar,
A água veio tocar a praia, mas logo a deixou.
Quantos se apiedaram pelo ligeiro beijo das salgadas águas
Em fina areia branca, agora molhada.
Tão belo encontro - este que nunca tive.
Antes eu fosse como um grão de areia
Que pelo mar sempre esperou.

Olhei para o céu que nublava
E tão logo trouxe a chuva que em mim tocava.
Muitos se esconderam para não molhar,
 Ali fiquei até tudo passar.
Antes eu fosse como uma pequena gota d’água.
Se pudesse em teu rosto tocar.

A noite trouxe com ela brisa fria
Que discreta, emaranhava o meu cabelo.
No alto a lua brilhante dizia
Que o Sol mesmo longe viria
Na aurora de novo dia, aquecer-me.

Como eu quis ser aquela lua brilhante,
Pois se brilha, é porque tem o Sol por amante
E fazer de você aquele pelo qual devo viver,
Seguindo meu caminho sem nada temer.
Mas estás tão fora de alcance
Que seria um eterno inverno em minha alma.
Ainda que o meu coração tenha um pouco de grão de areia
E gota d’água, você encontra-se distante.

terça-feira, 16 de novembro de 2010

~~'Justiça - Dinely Borges

   E se eu disser que a vida é justa, mesmo que o mundo não mostre isso. Das coisas que digo, algumas estão além de uma razão lógica tangível. Compreender é uma questão de ultrapassar barreiras.

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

~~'Equilíbrio - Dinely Borges

Hoje eu espero. Espero que chova quando estiver muito seco. Que faça sol se estiver muito frio. Espero a calma quando estiver sem paciência e urgência se a questão for de vida. Espero que a noite venha serena, depois de um dia absurdamente corrido. Espero que o tempo seja curto para as lágrimas, mas infinito em um abraço. Que a vida seja mais leve que uma pluma mesmo no meio de tantas desgraças. Espero que as pessoas encontrem a felicidade ainda que ela tarde em aparecer. Hoje eu espero encontrar o equilíbrio.

domingo, 14 de novembro de 2010

~~' O Amor Pode Dar Certo

Griffin: "Conheço um ótimo restaurante italiano."
Phoenix: "O seu charme e conhecimentos não vão colocar
 você na minha noite...nem na minha vida, nem em lugar nenhum. "
Griffin: "Bom, apenas vou dizer onde e quando
nós vamos jantar juntos!"

Phoenix: "Notou que nunca perguntamos nada um sobre o outro?"
Griffin: "Eu ia lhe perguntar isso."

Phoenix: " Não posso me envolver agora."
Griffin: " Quem falou em se envolver?"

"Eles tinham amizade... Eles tinham amor... Eles tinham tudo, menos tempo"

Griffin: " Acho que este é o ponto do filme em que eu digo:
Fale sem rodeios."

Phoenix: "Não importa."
Griffin: "Talvez para nós seja só o que importa.
Amo você em qualquer circunstância"

"Há uma resposta, e ela esta com você, eu te amo, nas horas boas e más, e esse tempo, esse tempo que temos pra fazer parte de tudo que há de bom.
Porque estaremos juntos e assim tudo e até o que é ruim, fica melhor!"











sábado, 13 de novembro de 2010

~~' Choveu em minha alma- Dinely Borges

É fácil perceber quando o vento muda.
Hoje sei o quão longe estava à primavera
E saber disso não é tão fácil quanto imaginei.
Ainda não entendo bem ao o que entreguei
A pessoa que eu era.

Se eu pudesse roubar de volta
Um pouco dos dias e sorrisos
Que espalhei aos jardins da vida
E a verdade que ia solta
Em cada palavra dita.

Talvez eu seja capaz, pois muito já roubei.
Lembro-me da atenção desejada,
O abraço apertado, tudo comigo levei.
Mesmo assim, não sei como roubar de mim.
Fazer renascerem flores entre as pedras que deixei
Por caminhos que tanto passei.

Choveu em minha alma
Lágrimas represadas
As quais não permiti escoar.
Pois me basta leve brisa
Para que eu queira voar.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

~~'Mãe Terra

Airosa esfera em que nasci
No teu ventre, Terra molhada,
Foi onde cresci.
Esse manto que também é morada,
Brota sabores onde planto
E rios, onde deixei cair meu pranto.

Esférico, corpo celeste
Tão bela é a tua imensidão.
Tudo o que me deste,
Até o pulsar do meu coração.
Aceita silenciosamente dividir a atenção.
De leste a oeste,
Sol e Lua chamam a atenção.

Quanta história em teu peito mora
E outras tantas, escondidas pra nunca se achar
Como uma flor que aflora
Sem ninguém admirar.

Gota de água no Universo
Menina dos olhos de meu ser
Escrevo em simples verso
Que nunca a vou esquecer.

E quando me calares
Ainda vou viver.
A lagarta que dorme nas árvores
Para borboleta amanhecer.

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

~~' Não mais aqui- Dinely borges

Algo entre o amor e o ódio
Na medida certa em que impera
A razão tantas vezes ignorada.
E por toda a espera
Vejo você que agora tarda.

Ou talvez nunca tivesse ido
Mas opera em mim
Tamanha transformação
Que acredito seja o fim
De minha ingênua ilusão.

Todas as palavras que desperdicei,
Hoje nem sequer me fazem falta.
Deixo-as como ecos em sua mente,
Certa de que vencerei
Seguindo por outra estrada.

E se algo ficar
Que seja a minha memória.
Sim, preciso lembrar
Para que não se repita a mesma história.

terça-feira, 9 de novembro de 2010

~~' As ferrugens

E talvez sejam necessários todos os espaços
Brancos e vazios que preenchem a alma.
Explicar não se faz urgente,
Onde a linha do horizonte se perde no silêncio e na calma.

Distinguir-se e não se arrepender.
Tão pouco das dores que corroem o ser
Como ferrugem, dádiva do tempo,
Oxidam ferro, marcas que deterioram o coração
Pouco a pouco, mas faz-se perceber.
A solução talvez seja adormecer,
E nos sonhos encontrar o que não mais se pode ver.

Alegro-me ao olhar as minhas ferrugens
Os espaços vazios que asseiam atenção,
Talvez de um tempo, algo que passou para não mais voltar,
Ou quem sabe a vida me ensina a esperar.

Alegro-me ao ver minhas ferrugens
Alegro-me só de poder vê-las
Todas são recordações
Fotografias mudas, imagens
E marcas profundas, a minha lição.

sábado, 6 de novembro de 2010

~~'Amigo Poeta - Dinely Borges

No caminho das palavras,
Encontrei-me com um poeta.
Nele, uma alma dessas
Que voam distante,
Mesmo só se completa
Por ser destemidamente, fascinante.

Houve e há em seu caminho
Grandes pedras,
Mas ele nelas pousa as mãos,
Paulatinamente transformando-as em flores.
Com o olhar as venera
E vão enchendo-se de cores.

No caminho das letras,
Encontrei um poeta
Que na ponta do lápis
Escreve amor sem reservas.
Traz para o papel,
 O calor de todas as eras.

Quem passa os olhos
Em teus versos cuidadosamente desenhados
Intensamente quer viver
Sonhando acordado.

Na estrada da vida
Encontrei um poeta
E por ali não mais andei só.
De mãos entrelaçadas
Mesmo que pelas palavras,
Vulgo Mini não há dúvida
Sobre a grandeza de sua alma.
_____________________________________________________________________________
  Anjoo! Obrigada por tudo que vc jah fez por mim *---* Espero que goste dessa simples homenagem!
amo-tee muitão (L

sexta-feira, 5 de novembro de 2010

~~'Tenho ameixas nas costas do meu onigiri - Honda Tohru

"Se por acaso o dom especial das pessoas
for como uma ameixa japonesa nos bolinhos...
Talvez essas ameixas estejam nas costas do bolinho!
Imagino que todo mundo possua nas costas, ameixas de vários formatos
cores e sabores.

Mas como estão nas costas,
essas ameixas são invisíveis para quem as carrega.



A si mesmas dizem: " Não tenho nada
de especial, sou apenas arroz branco".

O que não é verdade... em suas costas tem uma
bela ameixa japonesa.
Talvez...as pessoas sintam inveja
 porque só conseguem ver as ameixas dos outros.
Você pode não estar percebendo...
mas podem estar admirando uma qualidade sua,
que nem saiba que possua.
Se pensar assim, mesmo que só um pouco,
dá vontade de ser uma pessoa melhor"



terça-feira, 2 de novembro de 2010

~~'Encontros- Dinely Borges

A noite encontra o dia
Que por fim encontra a noite,
E não há vazio nem espaços
Para quebrar tamanha harmonia.

A noite encontra o dia
Que por fim encontra a noite,
Antes fosse a minha alma
Encontrando a sua em maestria.

O Sol ilumina a lua
Que bela, brilha para mim,
Tão cedo vejo sob esse céu
Amor sublime que me faz querer ser tua.

Ainda que teu amor
Seja para mim saudade pura
A noite encontra o dia
Que por fim encontra a noite

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

~~'Homenagem do Poeta Vulgo Mini

A poetisa passou por aqui
E com suas palavras
Devolveu os sonhos
Fez com que a flores desbrochassem com todo encanto
Perfumando mais a vida, os coraçoes e a alma
Trazia nos lábios o sorriso mais doce
Nos olhos o brilho nunca antes visto
E em cada olhar lançado, despertava o inesperado.
Também trazia nas mãos a vida
E dizia a todos, que essa devia pulsar bem mais forte que o proprio coraçao!
Pois só dando valor à vida,
Alcançaríamos o inalcansável!
A poetisa esteve aqui!!!
E permanece nas entrelinhas de tudo que eu li!



essa é pra vc meu anjo!

Alex
________________________________________________________________________________
Meu amigo poeta, anjo, vc sabe que sou mto grata por ter te conhecido. Vc me mostrou a força, a esperança, o amor, entre outras coisas q são a razão para q eu continue escrevendo. O que escrevo são apenas reflexos de minha vida. De tudo que acontece ao meu redor. Então oq escrevo é um reflexo seu tbm. E sei que vc reconhece isso em meus versos. Estou em débito com vc, mas logo lhe farei uma homenagem! MUITO OBRIGADA POR SER ESSA PESSOA MARAVILHOSA E ATENCIOSA COMIGO. Obrigada mesmo, por tudo!
Beijoos

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

~~' Felicidade- Dinely Borges

   Compreendo hoje a felicidade. Tão rápido como o piscar dos olhos, a vida passa. O destino é obra do que construímos - construa boas amizades. Amigos são estrelas que iluminam durante a escuridão. Alguns decepcionam, mas a altura, outros lhes estendem a mão. Não há nada tão ruim que seja para sempre. Mas as coisas boas da vida, estas sim habitarão a alma pela eternidade. Compreendo hoje a felicidade. Os pequenos momentos que me fizeram não perder a coragem de continuar. E ainda, há tempo nos tempos do viver, para agradecer as dificuldades. A escola que nos faz crescer. Então faça da vida uma obra de arte. Uma obra que leva uma vida para se fazer.

quarta-feira, 27 de outubro de 2010

~~' Fênix- Dinely Borges

Que outra criatura
Cantaria no leito de morte
Se não soubesse com brandura,
Renascer por sorte.

Das cinzas do tempo
Reconstrói a própria força.
Renascendo de si mesma,
Joga-se ao vento.

Outrora penas em chamas,
Mostram-se vermelhas
Mesclando as douradas
Prêmio por sua grandeza,
Ave aclamada.

Encantadora fênix milenar,
Os teus doces cânticos a mim são quimeras,
Pois também vim das cinzas que me levam
Ao teu exemplar.

Quem um pouco de ti não tem,
Não sabe voar.
Mas se aprende em silêncio o que te desprende
Fascina-se com o teu e próprio despertar.

terça-feira, 26 de outubro de 2010

~~' O Despertar de Uma Paixão

"Às vezes a maior jornada é a distância entre duas pessoas."

Walter:"Acho que você me considera um tolo maior do que eu sou"

Walter:"-Conhece um lugar chamado Mai Tang Fu? Houve um surto de cólera. A pior epdemia em muito tempo. Eu me ofereci para cuidar de tudo."
Kittty:"-Não vai me levar para o meio de uma epidemia de cólera."
Walter:"-Acha que não?"

Kitty:"-Talvez eu possa ajudar no hospital."
Walter:"-Você vai se matar."

kitty:"-Eu me casei com você sem amá-lo. Mas sabia disso. A culpa é tão sua quanto minha."

Kitty:"- Você me despreza tanto assim ?"
Walter: "- Não, eu desprezo a mim mesmo por ter te amado um dia!"


Uma paisagem belíssima. Um país ameaçado. Uma história de amor. Após a traição de sua esposa Kitty, Walter Fane, um introspectivo bacteriologista, aceita trabalho voluntário em um pacato vilarejo infectado pelo cólera. Sem escolha, Kitty muda-se com Walter. Uma grande jornada de reclusão e auto-conhecimento dará novo significado ao relacionamento e irá reascender a paixão entre os dois, num dos lugares mais bonitos e remotos do planeta.



segunda-feira, 25 de outubro de 2010

~~'Sol da manhã - Dinely Borges

Desfazer o que está feito
Nem sempre surte efeito,
E nesses caminhos
Desenho o novo
De diversos encontros
Diferenciando flores de espinhos.

Assim vou seguindo,
Peneirando o solo em que piso
Fazendo das pedras
Terra fofa.
Assim vou seguindo
Esperando a chuva que certamente virá
E um pouco do sol da aurora para reinventar.

domingo, 24 de outubro de 2010

~~'Ainda aqui - Dinely Borges

Em minha paz disfarçada
Não temia o amanhã.
Tão vulnerável!
Uma ventania inesperada a levou.

Destarte, em mescla de felicidade
Coloria com preto, sutil preocupação.
O que incomodava, era o coração,
Ah!Como pulsava.
Talvez fosse apenas saudade,
Essa sim, nunca o deixou.

Doce ilusão envenenou-me,
Acreditei ser inteiramente dona de mim
Mas bastou o tempo de um crepúsculo
Para desmanchar em meus olhos
A face do ontem.

Não sei se posso
Ainda acreditar em minhas súbitas verdades.
Talvez mentir curaria todos os sentidos.
Talvez o ontem fosse apenas um sonho confuso,
Mas a realidade do hoje me chama suavemente
Por mais que não queira eu a vou seguir.

sábado, 23 de outubro de 2010

~~'Flores e Estações- Dinely Borges

Colheram no meu jardim.
Caminharam entre pedras e flores,
Pois em meu ser não é só amores.
Entre tantas,
Eleita foi a flor branca.
Amizade adocicada, suavemente perfumada,
Presa em um jasmim.

A primavera é um farol.
Guia na escuridão com facilidade,
Encontra o coração e faz nascer felicidade.
Flor desperta, que sabe para onde olhar,
Cresce para o Sol sem pestanejar.
Cresce o mais alto que pode
E o resto deixe para a sorte, amarelo girassol.

Encantaram-se ao verem em um canteiro
Delicada flor esquecida,
Amor-de-homem dizia o letreiro.
Esperança que morre no coração
Mas que aquece novamente no verão
E logo se desfaz na brisa
Dente-de-leão.

O outono os distraia
Com as mesmas noites e dias.
Cores que se mesclavam no poente,
Folha amarela e vermelha com o vento caia.
Parte do jardim cultivada por outros,
Os que conhecem minhas dores e alegrias.
Uma flor que apenas amor cabia,
Lírios-do-campo em maestria.

Em um pomar de quatro estações
Decidiram ver o que o inverno tinha para mostrar,
A bela do gelo fez-se apreciar.
Borboletas trazidas pelas monções
Batendo asas multicores, em grandes folhas foram pousar.
Flor infame...
Não se deixe por ela enganar,
É onde escondo ciúmes e o adeus.
Apreciado ciclame,
Que os soube guardar.

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

~~'Goiaba-Dinely Borges

Ser feliz é rir a toa,
Andar na praia
Pescar na lagoa.

É encontrar uma goiaba
Ser jabuticaba,
Viver a amizade
Numa boa.

Ser feliz é compartilhar os sonhos
E as tristezas também.
Confiar em um amigo
Para tudo ficar bem.

É sorrir para o sol
E agradecer ao farol
Que ilumina na escuridão
-amigo irmão-

Quem dera a sorte
Todos terem uma goiaba,
E conhecerem uma jabuticaba.
Compreender que a amizade sim é forte
Pois é um laço que nunca não se acaba.

Homenagem que dedico ao meu querido amigo Markin Catuta!

quinta-feira, 21 de outubro de 2010

~~'O que é perfeito? -Dinely Borges

   O que é perfeito? Perfeito é um estado de espírito. O que faz seu dia completo? Um estado de espírito. O que ontem era tão belo, tão certo que ninguém ousaria dizer que havia algo errado, hoje é banal, comum. Agora abro minhas asas e vou além... Digo que tudo que provei é um estado de espírito... Não existe a felicidade, não existe a depressão, nem digo a solidão... Tudo que se tem, passa. Essa é a verdade que repeti para meus ouvidos nos últimos dias... Mas ainda em minha falha esperança, acredito que o amor seja verdadeiramente completo, que não se perde. Amor não se tem, amor nasce, aprende a viver em você e trás com ele todas as outras sensações, agora completas. Mesmo as mais dolorosas. Você também aprende a viver com elas. E por mais difícil que seja o caminho, a felicidade lhe acompanhará nas manhãs de sol, e um sorriso formará facilmente quando uma lembrança se desenhar em noites de frio. Até mesmo quando os pés não tocarem mais este chão, é o amor que mostrará a direção.

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

~~'Valsa da vida-Dinely Borges

Dance,
Pois pode ser que amanhã
A mesma música já não toque,
E talvez os teus pés de outra melodia,
Não goste.

Dance,
Porque a alegria é passageira
E o momento não volta.
O que fizer hoje é reflexo no futuro,
O que não fizer também refletirá.

E dançando vai coreografando o seu caminho,
Dance jazz, mas faça do reggae seu hino.
Talvez na valsa do destino
Deslizando pelos momentos
Um segredo descobrirá,
Que a vida é mesmo dançar.

domingo, 17 de outubro de 2010

~~'Das utopias- Mário Quintana

Se as coisas são inatingíveis... ora!
Não é motivo para não querê-las...
Que tristes os caminhos, se não fora
A presença distante das estrelas!

sábado, 16 de outubro de 2010

~~'O preço por ser poeta (Vulgo Mini e Dinely Borges no fim)

A maior parte foi meu amigo querido que esvreveu, ajudei apenas no fim. Mas ainda teremos a oportunidade de mesclar estrofes.

O preço que pago por ser poeta?
É às vezes viver a minha solidão, perdido em meus próprios pensamentos, tentando me encontrar.
Andando de um lado pro outro dentro de mim, sem saber qual o melhor caminho.
E muitas vezes sem saber se esse caminho me levará aonde realmente eu quero chegar.
Mas sei que pago um preço maior por ser o que sou, porque no fundo, todo poeta, tem uma ferida que nunca se fecha. Um coração que na maioria das vezes não bate, apenas dói!
Dói de saudade
Dói com a injustiça que fazem com o amor
Dói com um amor não terminado dentro de si
Dói com a demora da solidão.
Mas esse é o preço que pagamos.
Dizem que o poeta apenas escreve e não vive
Mas é o contrário
Nós escrevemos aquilo que vivemos e sentimos.
Escrevemos o que vem da alma.
Ser poeta é ser sentido.
Que seja caro o preço, até mesmo dolorido.
O motivo é nobre e em mim não morre
A vontade de grafar o que sinto.
Outrora um papel branco, com palavras foi desenhado.
De verso em verso desfaço os meus mistérios
Que antes em meu peito era calado.
Sentimentos que não apenas em mim vive
Foi entre os desertos buscar os olhos
Que deles se admire.
Fez-se canção no novo abrigo.
Se for caro o preço por ser poeta
Pagarei sem disfarçar
Alegria que me acomete por poetar.
Poeta, poeta. Vive de compartilhar.


Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...