domingo, 25 de abril de 2010

~~'Mosaico do ser



Recomponho-me depois da tempestade.
Junto todos os cacos,
Refaço calmamente, cada pedaço.
Abro os olhos e vejo
Está pronto o meu mosaico.

Esse quebra-cabeça
Que chamamos de ser,
Eu quero muito entender.
Quero ajudar
Outro alguém a se remontar.

São tantas as formas
De unir as tesselas da alma.
São tantas as formas
De se reformar.

Sobre vidro,
Eu muito sei.
Foram muitas as luas cheias
Que com ele me cortei.
Ao vidro,
Quero agradecer,
Pois muito dele precisei.
As cicatrizes que me fizeram mais forte,
Lembraram-me que era apenas um corte
Para chegar onde sempre sonhei.

Mármore e cerâmica,
Todos com a sua importância.
Preenchem todos os espaços
Das paredes de nossa ignorância.

E a concha,
Ela é canção.
Canta o som que vem do mar.
Música do coração
De quem sabe amar.

Mas a tempestade irá chegar
E esse mosaico derrubará,
Tão certo quanto respirar
Irá se quebrar.

É preciso viver,
Para pacientemente aprender
Como cada caco juntar.
Remontar-se e não mais cair com a mesma ventania.
Colorir a alma,
Com a cor não da dor, mas as cores do amor.
-Dinely Borges-

Um comentário:

  1. Grande poetisa... gostei muito de seu poema. A gernte conserta e fica as marcas, mas ela nos mostra que além de não ter sido fácil chegar onde queríamos, foi recompensador, porque a tudo superamos. Vou voltar concerteza. Se quiser dar um pulinho no meu... eu finjo que sou poeta, mas dá pro gasto.. Abraços e bjo.

    ResponderExcluir

O seu comentário é sempre bem vindo!
Opine, comente, se expresse! Este espaço é seu!

Espero que tenha gostado do blog! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...