quinta-feira, 15 de abril de 2010

~~'O rejeitado


Não estava só, nem abandonado
O meu amor, rejeitado.
Parei o tempo para observar
Procurava motivos para também o ignorar.

Uma busca em vão
Os olhos de mel já estavam gravados em meu coração.
Com carinhos encantadores
Descobri o amor mais puro dos amores.

Não tive medo
Mas conhecia o porvir.
Descobriria um segredo
E nunca o deixaria ir.

Embasbacada o fitei
Aquele era o amor mais puro dos amores?
Era o mesmo que amei?
Ao meu redor, apenas destruição.
Um horror dos horrores,
Uma decepção.

Olhei-o novamente
Ele encolhia-se no chão
Olhei-o com olhos de serpente
E ele docemente, encarou o meu olhar
Com jeito de meninão
Mostrou que só queria brincar.

Queria brigar
Não consegui, ele é muito esperto,
Sabe como persuadir.

Ainda hoje é assim
Eu o amo e ele a mim.
Não o escolhi, fui escolhida,
Ele mudou a minha vida.

Um amor diferente
Desses que não encontramos por aí...
Sem preconceitos, magoas ou um tanto exigente.
Um amor de um ser dito irracional
Um amor de um cão, o amor de um animal.

-Dinely Borges-

Parabéeens scooby!

0 comentários:

Postar um comentário

O seu comentário é sempre bem vindo!
Opine, comente, se expresse! Este espaço é seu!

Espero que tenha gostado do blog! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...