sábado, 16 de outubro de 2010

~~'O preço por ser poeta (Vulgo Mini e Dinely Borges no fim)

A maior parte foi meu amigo querido que esvreveu, ajudei apenas no fim. Mas ainda teremos a oportunidade de mesclar estrofes.

O preço que pago por ser poeta?
É às vezes viver a minha solidão, perdido em meus próprios pensamentos, tentando me encontrar.
Andando de um lado pro outro dentro de mim, sem saber qual o melhor caminho.
E muitas vezes sem saber se esse caminho me levará aonde realmente eu quero chegar.
Mas sei que pago um preço maior por ser o que sou, porque no fundo, todo poeta, tem uma ferida que nunca se fecha. Um coração que na maioria das vezes não bate, apenas dói!
Dói de saudade
Dói com a injustiça que fazem com o amor
Dói com um amor não terminado dentro de si
Dói com a demora da solidão.
Mas esse é o preço que pagamos.
Dizem que o poeta apenas escreve e não vive
Mas é o contrário
Nós escrevemos aquilo que vivemos e sentimos.
Escrevemos o que vem da alma.
Ser poeta é ser sentido.
Que seja caro o preço, até mesmo dolorido.
O motivo é nobre e em mim não morre
A vontade de grafar o que sinto.
Outrora um papel branco, com palavras foi desenhado.
De verso em verso desfaço os meus mistérios
Que antes em meu peito era calado.
Sentimentos que não apenas em mim vive
Foi entre os desertos buscar os olhos
Que deles se admire.
Fez-se canção no novo abrigo.
Se for caro o preço por ser poeta
Pagarei sem disfarçar
Alegria que me acomete por poetar.
Poeta, poeta. Vive de compartilhar.



Um comentário:

  1. Nossa, ainda não tinha visto, ficou perfeito!
    Obrigado por ter aceitado terminar junto comigo essa Obra!
    Você é simplesmente Poetisa!!!
    Amo você menina!!
    Sem palavras!!!

    ResponderExcluir

O seu comentário é sempre bem vindo!
Opine, comente, se expresse! Este espaço é seu!

Espero que tenha gostado do blog! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...