terça-feira, 17 de maio de 2011

~~'Promessas vãs - Dinely Borges


Onde estaria eu se não fosse pelas minhas promessas.
Como as amei um dia, e de amá-las passei a odiar.
Odiar promessas. E quem diria, odiá-las-ia mais.

Onde estaria eu se não fosse as minhas promessas.
O que eu prometi para eu mesma. Sim, foi isso que odiei.
Por não cumprir tudo, eu me odiei. É que não é o outro, sou eu.

Então prometi não prometer. E quando vi, já estava prometendo.
Hora, não há remédio? Queria não precisar disso.
Odiei quem fazia promessas. Por eu não cumprir as minhas,
Os outros também não poderiam cumprir... Seria injusto, seria um abuso.
E pior que isso, perguntei-me se deveria existir essa palavra pesada...
Que acusa os meus passos e os daqueles que a põe para fora dos lábios.

Prometi duvidar de promessas pela eternidade. Elas não eram dignas de serem pensadas.
Só assim eu estaria livre de prometer,
Se apenas essa promessa se cumprisse, uma única promessa,
Prometer não seria mais necessário.
Só assim eu acreditaria no verbo, e depois acreditaria mais, com esperança sincera.

0 comentários:

Postar um comentário

O seu comentário é sempre bem vindo!
Opine, comente, se expresse! Este espaço é seu!

Espero que tenha gostado do blog! Volte sempre!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...